quarta-feira, 6 de maio de 2009

Mais um dia atribulado...

Hoje, dia 5 de maio, foi um dos dias mais atribulados de toda essa fase de médicos e exames. Saí do trabalho depois do almoço e fui ao Pasteur buscar mais alguns resultados.

A primeira consulta do dia foi com a Pneumologista – Dra. Christiane.
Mais uma médica fofa, linda, educada e atenciosa. Gente, acho que estou dando muita sorte! Ela viu aquela tonelada de exame, um por um, anotou, e marcou um exame do sopro das bolinhas. E na verdade, ela só poderá me dar o relatório após o resultado deste exame e da polissonografia. Consegui marcar para o próximo dia 18 e já agendei o retorno nela para o dia 26. Pelo andar da carruagem, dia 26 será o ponto final antes do encontro com o Dr. Sérgio.

A segunda etapa do dia foi na CardioLife – Dra. Cynthia.
De novo, uma gracinha de menina. Menina mesmo, bem mais nova que eu! Conversa bastante, do jeito que eu gosto. E foi lá que eu realizei o eletro e o ecocardiograma e ela já me adiantou que está tudo certo. O cardiologista não estava para me dar o relatório. Voltarei amanhã!

De lá eu corri para o Ortopedista – Dr. Henry Campos.
Eu já havia falado dele aqui. Hoje foi só o retorno. Ele viu os resultados da ressonância magnética e do raio-x da coluna e, felizmente, não tem nada comprometido ainda. Embora isso dificulte a exposição de motivos, ele, ainda sim, me indica a cirurgia e logo fez o relatório alegando que eu sinto fortes dores nas costas e nos joelhos e mesmo após o tratamento com fisioterapia, RPG e anti-inflamatórios, continuo apresentando os sintomas, portanto, todos os problemas estão relacionados ao excesso de peso e ele recomenda a cirurgia bariátrica.

E olhem só... mais uma coincidência aconteceu hoje... o Dr. Henry me disse que conhece uma pessoa que fez a cirurgia e está muito feliz. Daí ele disse: “Eu mesmo!”... Inacreditável! Ele é super magro, mas afirmou que já pesou mais de 140 kg. Saí super animada do consultório dele!

Bom... fui em casa dar um beijo nos meninos porque eu mereço!
Mas a maratona ainda não havia terminado, afinal, hoje é terça e terça é dia de terapia.
Foi a terceira sessão e tínhamos uma nova “colega” e o encontro foi bem divertido. Entreguei o diário alimentar da semana e ela disse que está ótimo assim. Entreguei também a lista com as 15 coisas que eu gosto de fazer. Falamos sobre a assertividade. Da importância de sabermos a hora de dizer não. A Dra. Simone fala muito, são muitas informações, mas eu saio de lá disposta! Aproveitei para dar carona para a “colega” nova e fomos conversando sobre a cirurgia até perto de casa. Esses momentos são sempre bons!

Aliás, quero falar um pouco sobre isso... eu tenho sentido falta de conversar sobre todas essas etapas, os procedimentos, a própria cirurgia. Eu sei que deve ser um assunto extremamente desinteressante para as pessoas que nada têm a ver com isso. Por isso o blog tem sido legal... ainda que eu fique aqui falando sozinha, já é um desabafo.

Aqui eu organizo a minhas ideias e um pouco dos meus sentimentos. E por falar em sentimentos, eles estão meio embaralhados. É uma mistura de uma enorme ansiedade com a felicidade de ver tudo dando certo e ainda o receio de como será com o convênio. Enfim, é uma tremenda salada. Mas eu tenho muita e fé e sei que o melhor está guardado pra mim!

Bom... ainda me sinto incomodada com a falta de apoio das pessoas. Não das pessoas do mundo inteiro que acham que essa cirurgia é uma loucura só porque olham pra mim e veem uma carinha bonitinha e apenas alguns kilinhos a perder. Querem saber? Pra essas pessoas eu não estou nem aí! O que realmente me incomoda (e chateia) é a falta de apoio da família. Tanto o meu pai, quanto o Rodrigo continuam mudos em relação ao assunto. A impressão que eu tenho é que eu vou para a sala de cirurgia e eles vão continuar não acreditando que a minha decisão é de verdade. Enfim, de fato, me incomoda, mas não me abate. Também o tempo tem sido tão pouco que mal posso pensar no quanto seria melhor se estivesse ouvindo o apoio deles. Agora, falta mesmo eu tenho sentido da minha mãe. Eu sempre senti saudades desde que ela se foi, mas agora é diferente. Eu queria muito é que ela estivesse aqui! Enfim... nem sempre as coisas são como gostaríamos que elas fossem, não é mesmo!? Só sei que nada vai me fazer desanimar!

Ainda mais agora que falta tão pouco... e por hoje é isso!

Beijos,
Thaisa

Um comentário:

  1. Tô aqui ouvindo!
    Que dizer, lendo... rsrs..

    Pati.

    ResponderExcluir